Desastres Naturais

em Geral
Ciclone Catarina

Ciclone Catarina

Como jornalista quero cobrir todo tipo de evento. Alguns exigem dedicação especial, como os desastres naturais.
Foi assim em março de 2004, quando o primeiro ciclone tropical de que se tem notícia no sul do Oceano Atlântico foi denominado Catarina. Lembro que naquele momento a população do sul do Estado de Santa Catarina e a população do nordeste do Estado do Rio Grande do Sul, foram alertadas para o fato de que se aproximava um ciclone. O que ninguém imaginava é que este seria o primeiro furacão historicamente registrado no Atlântico Sul. Apesar da incerteza no futuro da tempestade, as autoridades brasileiras tomaram as medidas adequadas para garantir a segurança dos moradores que viviam no litoral. A evacuação foi executada com êxito para os numerosos residentes ao longo da costa, embora algumas pessoas decidiram permanecer em suas próprias casas.

Chuvas derrubaram a ponte do rio Jacuí

Chuvas derrubaram a ponte do rio Jacuí

Era um sábado e estávamos na expectativa. Com todo o equipamento montado para a viajem. Em permanente contato com os centros de meteorologia ligando de Porto Alegre para saber as notícias e previsões para o evento que aconteceria. As manchetes avisavam que a tempestade iria perder força e ir em direção ao oceano. Nada disso ! O “Furacão” atingiu o litoral do Rio Grande do Sul com ventos de até 180 km/h durante a noite, batendo a norte da cidade de Torres.

Plantação de eucaliptos destruída pelos ventos

Plantação de eucaliptos destruída pelos ventos

Eram aproximadamente 6 horas da manhã de domingo quando coloquei o pé na estrada, e alguns pré-requisitos foram necessários: me certifiquei de ter abundância de combustível, água, lanches, mapas, uma certa quantidade de dinheiro, além de baterias extras e um conversor de energia para poder carregar notebook, câmeras, etc, ligados no carro. Botas, repelente, protetor solar e kit de primeiros socorros também foram uma boa idéia.

Eventos climáticos deste porte recebem cobertura mundial

Quando estiver cobrindo um desastre natural destas proporções, lembre-se sempre de prestar atenção a sua volta. Sempre tenha uma estratégia de saída. Sua primeira consideração quando você dirige em qualquer lugar é a sua segurança. Sempre tenho em mente se posso sair daqui 15 minutos ou em algumas horas … e não depender de ninguém para vir salvá-lo. Tentar ser totalmente auto-suficiente em todos os momentos. Nunca ande muito longe de seu carro, pois ele é a sua única forma de locomoção e há muitas coisas valiosas ali das quais você depende. Durante estes eventos não há guinchos, carros da polícia ou ambulância a caminho, pois provavelmente todos estarão trabalhando nos resgates ou reconstrução.

Moradores trabalham na recontrução de suas casas

Estando com o material fotográfico garantido, a próxima etapa é a transmissão das imagens. Assegure-se que o seu método irá funcionar, seja ele a transmissão por celular ou usando o apoio das casas do governo, como hospitais, delegacias e centros de comunicação montados pelo exército onde haja conexões com a internet.

Moradores observam suas casas destruídas pelo ciclone

Moradores observam suas casas destruídas pelo ciclone

É fundamental não perder a perspectiva. A grande história está aqui: na minha opinião não é necessariamente a tempestade, pois ela já aconteceu. A grande história é sobre como e quanto mais bem preparados somos como nação e como nosso governo está para lidar com as conseqüências desta calamidade … O Brasil entrou definitivamente na rota das tempestades. Inúmeros trabalhos de pesquisa recém divulgados, indicam que a parte central da América do Sul é a segunda região no mundo em atividade. No “mapa mundi” dos tornados, o centro e o norte da Argentina, o Uruguai, o Sul do Brasil e o Paraguai, estão se tornando regiões muito propícias para atividade tornádica.

Restabelecimento da rede elétrica

Restabelecimento da rede elétrica

Imagens aéreas são excelentes para mostrar as proporções. Se você quiser entrar em um helicóptero, certifique-se de que você está trabalhando com pilotos experientes… nunca se sabe. Neste caso procure em aeroportos a melhor maneira de embarcar. Aeronaves do exército quase sempre estão disponíveis. Outra maneira é a partilha dos custos de aluguel de um helicóptero com alguém é uma boa opção, nestas situações.

Grupos de Salvamento durante as buscas aos desaparecidos

Grupos de Salvamento durante as buscas aos desaparecidos

Nestes momentos não há tempo para discutir. Obedeça a aplicação da lei, especialmente, de quem está fazendo a segurança. Negocie sua estada ali, eles entenderão que você está trabalhando. Nestes momentos de tensão, uma mão lava a outra.

Grupos de Salvamento

Grupos de Salvamento

Moradores atingidos recebem ajuda nos abrigos

Moradores atingidos recebem ajuda nos abrigos

Espero que essas tempestades fiquem cada vez menores, e até acabem. Ninguém merece passar por isso novamente, sejam os fotógrafos, jornalistas e outros trabalhadores de resgate que atuam nestes momentos, sem falar, nos cidadãos, é claro!

Boa sorte!

Compartilhe:

Veja Também:

Bem vindo ao blog da Preview - Banco de Imagens.

Fique a vontade para compartilhar nossas fotos!

Posts mais lidos

Sorry. No data so far.

Embarque nesta aventura

Receba nossa newsletter, conteúdo exclusivo, promoções e muito mais...